A colheita de soja da safra 2017/2018 chegou na quinta-feira (08/02) a 10% da área cultivada no Brasil. O número representa avanço de quatro pontos percentuais em uma semana e é inferior aos 19% de um ano atrás e aos 12% da média de cinco anos.

Quando o assunto é atraso, quem continua chamando a atenção é o Paraná, onde apenas 1% da área estava colhida até quinta-feira, ante 13% no ano passado e 16% na média de cinco anos. Mesmo com tempo aberto ao longo da semana, os trabalhos avançaram lentamente porque ainda há poucas áreas prontas, devido ao atraso no plantio e ao alongamento do ciclo das lavouras da região oeste.

Colheita de soja

Mas a expectativa é de que a colheita de soja avance rapidamente no oeste paranaense a partir da semana que vem. Como a germinação da soja foi concentrada, muitas áreas chegarão juntas ao ponto de colheita. O problema é que, segundo as previsões, as chuvas devem voltar ao Paraná, podendo dificultar o avanço das máquinas.


Continua depois da Publicidade

Participe de nosso Grupo no WhatsApp (Clique aqui)
Curta nossa Página no Facebook (Clique aqui)

Perdas pontuais por chuva em Mato Grosso

Em Mato Grosso, que segue na dianteira entre os estados, com 30% de sua área já colhida, as chuvas desta semana causaram certa lentidão nos trabalhos, mas as máquinas continuaram em campo nos intervalos com sol. No norte, de acordo com a AgRural, o grão tem saído das lavouras com alta umidade e já há registros de soja avariada pelo excesso de chuva. Esses registros, porém, ainda são pontuais e não afetam a produtividade da região.

Goiás e Mato Grosso do Sul

No vizinho Goiás, a colheita de soja ficou um pouco mais lenta no início da semana, devido à chuva, mas depois ganhou ritmo, chegando a 9% na quinta-feira. Em Mato Grosso do Sul, o tempo aberto favoreceu a colheita, que saltou de 1% para 6% em uma semana. Nos dois estados, contudo, há atraso em relação ao ano passado e à média de cinco anos. Os outros estados com colheita já em andamento são Rondônia (20%), São Paulo (6%), Pará (4%), Minas Gerais (3%), Santa Catarina e Bahia (1% cada).

Matopiba e Rio Grande do Sul

Nos estados que plantam mais tarde, as lavouras se desenvolvem bem no Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, favorecidas pelas chuvas recentes. No Rio Grande do Sul, fevereiro começou mais seco, mas isso ainda não prejudica a safra. As previsões para os próximos dias, entretanto, mostram pouca chuva no estado, informou a AgRural em comunicado.


Continua depois da Publicidade



Clique aqui para ler essa matéria em sua fonte original.


FONTE: Farming Brasil