Situação da presidente afastada só piora e ela deve ser cassada até fim de agosto
Foto: Reprodução
A presidente afastada, Dilma Rousseff será julgada na próxima semana sob acusações de crime de responsabilidade fiscal. A presidenta foi afastada do cargo após um rito que se iniciou com o acolhimento da denúncia pelo ex-presidente da câmera dos deputados, Eduardo Cunha. Semana passada os senadores votaram e aprovaram o relatório que fez com que Dilma se tornasse ré. Ontem (16), ela enviou uma carta aos senadores e à população na qual propõe a execução de um plebiscito para saber se a população deseja que as eleições sejam antecipadas. Dilma também voltou a reforçar que o Impeachment é um golpe de estado, mas segundo os senadores ela continua em uma situação frágil e deve ser cassada até o final de agosto. A situação piorou ainda mais para Rousseff, pois na noite de ontem o STF (Supremo Tribunal Federal) acolheu e aprovou a abertura de inquérito contra ela sob a acusação de prática de obstrução da justiça. Já nesta Quarta-Feira(17), Dilma anunciou que irá pessoalmente ao julgamento se defender, fato inédito, visto que ela não compareceu em nenhuma sessão na Câmera dos Deputados e nem no Senado.