Guilherme Duarte Pagotto Uberlândia (Foto: Guilherme Duarte/Arquivo Pessoal)
Guilherme Duarte foi encontrado sem vida, após sair para encontrar desconhecido

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Um DNA feito a pedido da família de Guilherme Duarte Pagotto confirma que o corpo encontrado em Uberlândia é do jovem que desapareceu no último fim de semana. O rapaz será enterrado neste sábado (29) e, segundo a mãe dele, se o filho soubesse do perigo em marcar encontro pela internet, “não teria se arriscado tanto”.
A delegada Daniela Novais Santana confirmou que o corpo foi liberado para o enterro, mas a Polícia Civil aguarda resultado do laudo feito em Belo Horizonte para saber a causa da morte do rapaz. Nenhum suspeito ainda foi identificado.
Segundo Darci Duarte Pagotto, mãe do jovem, o DNA foi confirmado na noite desta sexta-feira (28). O filho dela desapareceu depois de marcar um encontro pela internet. Guilherme saiu de casa por volta das 2h30 e disse que iria encontrar uma pessoa. Ele ficou desaparecido e foi achado morto dois dias depois, em uma mata na rodovia MGC-455.
Após a repercussão do fato, Darci disse que espera que outros jovens tenham medo de sair de casa ao marcar encontro por meio de aplicativos em celular. “Se meu filho soubesse dos perigos em marcar um encontro com um desconhecido, ele não teria se arriscado. Agora, esta pessoa que fez isso com ele não vai mais querer fazer o mesmo com os outros jovens”, disse.
Ainda segundo a mãe da vítima, a família aguarda que o autor seja identificado. Devido ao estado em que o corpo foi encontrado, deverá haver um enterro rápido. “Eu tenho fé na polícia por saber que agora o caso será solucionado e que a Justiça será feita. Guilherme não poderá ter um enterro digno que merecia, pois ele tem uma família. Terá que ser algo rápido”, afirmou.

Linhas de investigação
Conforme a delegada Daniela Novais Santana, são três linhas de investigação e a principal é latrocínio. “O carro e celular dele não foram encontrados, além da camisa que ele usava que foi trocada. Ele era uma pessoa que tinha muitos relacionamentos e amizades. Então, agora vamos pedir a quebra de sigilo telefônico e da conta bancária para seguir com as investigações”, disse.
Sobre o encontro agendado pela internet, a delegada disse que é um risco que muitas pessoas estão correndo atualmente. “Uberlândia é uma cidade grande e perigosa. Cada dia está mais comum este tipo de encontro agendado por aplicativos e rede social. É complicado encontrar uma pessoa que não conhece. Tem que ter mais cuidado, isso é sério”, finalizou.
Desaparecimento
Guilherme Duarte Pagotto não era visto desde a madrugada de segunda-feira (24). A amiga dele, Kellen Morais, contou que por volta das 2h30 o jovem avisou à mãe que iria sair para encontrar com um rapaz. “Ele tinha costume de sair de madrugada, por isso a mãe dele não achou estranho. Mas não voltou no outro dia”, contou.
Guilherme saiu de carro, sem levar os documentos. Na segunda-feira ele tinha dentista e iria ao trabalho, mas não apareceu. Conforme a amiga, a mãe não soube explicar quem era a pessoa com quem ele foi encontrar. “Não soube dizer se é alguém que ele tem contato há muito tempo ou recente. Ele conhece muita gente, já fez amizades por aplicativos no celular e já encontrou muitas dessas pessoas pessoalmente, mas isso não é frequente”, disse Kellen.
Nas redes sociais, pessoas mais próximas publicam mensagens se despedindo do jovem.
Texto: Vanessa Pires e Arcênio Correa
Fonte: G1 – Triângulo Mineiro