Linha Editorial

O Triângulo Notícias tem como linha editorial o jornalismo crítico, apartidário e pluralista. Trazendo sempre a informação de forma completa e imparcial, valorizando as opiniões distintas e respeitando a diversidade de pensamentos. Buscamos fomentar o pensamento crítico e reflexivo acerca dos fatos apresentados, indo muito além da notícia.

Nossa principal característica será a isenção, pois sem ela, a informação perde a qualidade e o jornalismo perde o seu propósito; e nossa regra de ouro é divulgar tudo, na suposição de que a sociedade é adulta e tem o direito de ser informada . Diante disso, nosso norte será:

– Durante a apuração, edição e publicação de uma reportagem, seja ela factual ou analítica, os diversos ângulos que cercam os acontecimentos que ela busca retratar ou analisar devem ser abordados. O contraditório deve ser sempre acolhido, o que implica dizer que todos os diretamente envolvidos no assunto têm direito à sua versão sobre os fatos, à expressão de seus pontos de vista ou a dar as explicações que considerarem convenientes;

– Não haverá assuntos tabus. Tudo aquilo que for de interesse público, tudo aquilo que for notícia, deve ser discutido, analisado e publicado;

– Ninguém poderá ser perseguido por se recusar a participar de uma reportagem; da mesma forma, ninguém pode ser favorecido por fazê-lo;

– Os jornalistas envolvidos na apuração, edição e publicação de uma reportagem, em qualquer nível hierárquico, devem se esforçar ao máximo para deixar de lado suas idiossincrasias e gostos pessoais. Gostar ou não de um assunto ou personagem não é critério para que algo seja ou não publicado. O critério é ser notícia;

– Todo esforço deve ser feito para que o público possa diferenciar o que é publicado como comentário, como opinião, do que é publicado como notícia, como informação. Tendo um corpo de comentaristas, cronistas e colaboradores, fixos ou eventuais, que seja plural, representando o arco mais amplo de tendências legítimas em uma sociedade democrática. Articulistas, cronistas e colaboradores fixos têm de zelar para que os dados objetivos usados para sustentar suas opiniões estejam corretos. O mesmo deve acontecer com convidados, embora, neste caso, a responsabilidade pelo que é dito seja deles e não do veículo;

– O público será sempre tratado com respeito, consideração e cortesia, em todas as formas de interação com os jornalistas e seus veículos: seja como consumidor da informação publicada, seja como fonte dela;

– Jamais iremos agir de modo sensacionalista, causando uma deformação da realidade de modo a causar escândalo e explorar sentimentos e emoções com o objetivo de atrair uma audiência maior. O bom jornalismo é incompatível com tal prática. Algo distinto e legítimo é um jornalismo popular, mais coloquial, às vezes, com um toque de humor, mas sem abrir mão de informar corretamente;

– A sensibilidade do público será levada em conta. Cenas chocantes receberão o tratamento devido, de acordo com as características do público-alvo;

– Iremos defender intransigentemente o respeito a valores sem os quais uma sociedade não pode se desenvolver plenamente: a democracia, as liberdades individuais, a livre iniciativa, os direitos humanos, a república, o avanço da ciência e a preservação da natureza.